Criada em fevereiro de 2017 como iniciativa pioneira de Paulo Flores,  a OEXPO foi de encontro, na contramão, das correntes políticas atuais no âmbito da cultura, onde o desmanche vem sendo praticado em todos os cantos do país. Como exemplo de unificação de todas as artes a OEXPO tem uma formação inédita com a inclusão de instrumentos não convencionais como a sanfona, a viola caipira, guitarras, violão de 7 cordas, teclados, além dos instrumentos tradicionais, cordas, madeiras, metais e percussão. Essa mistura de universos nos trouxe uma sonoridade impar através dos arranjos inéditos do maestro Paulo Flores. Em seu curto tempo de existência a OEXPO criou um currículo invejável com o show Pratas da Casa, realizado na FAPI 2017, acompanhando 12 cantores de Ourinhos e a inclusão do corpo de bailado da Escola Municipal, com a diversificação também inédita de estilos de danças diferentes numa mesma coreografia, o Clássico, o Jazz, o Contemporâneo e a Street Dance, coreografados por Benjamin Alves. Esse show foi repetido dias 2/07 na Praça Melo Peixoto e 25/7 no Teatro Miguel Cury dentro da programação do 17º FMO. Também dois outros trabalhos aconteceram durante o 17º FMO com convidados, dia 23 na abertura, a OEXPO se apresentou com Toninho Ferragutti e Bailado, num tênue de requinte artístico, show esse que teve sua estreia dia 22/7 no Festival de Música de Assis. A OEXPO também recebeu o violinista popular Ricardo Herz no dia 25/7 numa fusão de ritmos brasileiros dentro do universo sinfônico. No segundo semestre a OEXPO se dedicou ao show Coisas e Outras Coisas com a obra de Moacir Santos.


0